segunda-feira, 16 de abril de 2012

O Mal.

O que justifica o mal? O bem justifica o mal? A autodefesa justifica o mal? A proteção de quem se gosta justifica o mal? Ou o simples uso do mal faz tudo perder o sentido, o significado?
O mal, talvez, deva ser avaliado pelo que é: mal.
Nada justifica o mal, aprendemos que o bem sempre vence, que podemos suar flores para enfrentar canhões, usar a paz pra conquistar corações. A vitória construída com o uso da bondade é sempre mais engrandecedora.
Quando se usa a maldade como meio, com argumento do bem, as entrelinhas sempre dirão em contrário, revelarão sua natureza, até mesmo seus motivos escusos.
Quando a maldade então se dá por motivos banais, fúteis (como diz a lei) e vc ainda teima em enxergar ali alguns resquícios de bem, vc perde a autoridade, vc perde a humanidade.
Nada justifica o uso do mal como meio pra se atingir um objetivo, o mal te tira a razão, se ela houver.
O mal nasce da inveja, da cobiça, da ira, não nasce de sentimentos nobres.
A história está recheada de exemplos, em nossas fés, aprendemos a importância de se praticar o bem, de respeitar o próximo, de conseguir as coisas pela via do bem, pq em algum momento se perde isto? Pq, em algum momento, deixamos de enxergar que nossos corações foram tomados pelo mal?
Mas o bem tem sua força e seu poder, pq ele sempre estará a espreita para acontecer, te recuperar, te retomar. Basta vc permitir.
Se busca argumentos para o mal, mas de fato eles não existem, toda busca tem no caminho do bem seu melhor caminho. Compreensão e respeito norteiam, bondade e amor preenchem.
Não estou falando que somos imunes a dor, aos sentimentos negativos, ao contrário, a maioria de nós foi movida em algum momento pelo mal, mas é a redenção pelo bem que nos fortalece.
Não deixar o mal tomar seu coração e sua alma é uma luta, mas ao seu lado sempre estará o bem. O mundo pode te tentar a acreditar diferente, mas os resultados sempre te mostrarão a verdade.
Olhe, observe, contemple. Veja que o bem sempre vence, que ele faz bem, trás colorido, felicidade. Por mais sombras que a maldade traga, a bondade leva tudo embora num sopro.
Peça perdão, se perdoe, siga em frente. Se recomponha, veja a verdade, ela salta aos olhos.
Todo mundo tem direito a ter sua própria luz.  

2 comentários:

Izabel disse...

Que lindo... e eu não poderia deixar de comentar...

Acredito que haja uma luta entre o bem e o mal, e o mal se aproveita das fraquezas que temos como seres humanos que somos...

Claro que o mal nos apresenta o caminho mais fácil, o da ira, inveja, cobiça, maus tratos etc etc... por um momento podemos nos sentir satisfeitos, vingados, no topo... mas sabemos que isto não passa de uma ilusão, pois ele nunca se satisfaz e sempre busca por mais, enredando a pessoa fraca num buraco sem fim...

Por outro lado temos o bem, e se tivermos a capacidade de o enxergarmos e termos a paciência, tolerância necessárias, conheceremos as verdades, os sentimentos bons, a paz ou seja... todos nós temos a nossa luz própria e não precisamos querer roubá-la de ninguém...

Beijos Sr Eros, e boa semana!!!

Atena** disse...

O mal se apodera de direitos, se cega diante a luz e com isso tenta desesperadamente levar a escuridão por onde passa.
Age em prol de um bem justificando assim suas ações muitas vezes, de um carinho e cuidado que apenas ele enxerga, tamanha é sua cegueira e não consegue ver que suas ações apenas promovem mais escuridão para si próprio. Pois as pessoas que o mal teima em atingir, essas com suas luzes cedo ou tarde enxergam a realidade do mal, e o abandona, vão em direção a luz.
Na verdade o mal é um solitário, que usa de todos os artifícios para ter companhia mas sempre acaba sozinho mergulhado em sua própria escuridão.
Inveja do que o outro possui? da felicidade alheia? raiva? rancor? tudo isso se apaga quando você se permite enxergar a verdade que lhe salta aos olhos, quando se permite ver que as pessoas saíram do breu em direção a luz e de como são felizes com isso.
Que cada um possa desfrutar de sua própria luz.

Beijos carinhosos!