segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Desconhecer...

Não sei se como defesa, mas costumamos "esvaziar" o outro de nossas vidas em algumas circunstâncias.
Uma boa maneira de nos proteger, de manter distância, de não assumir responsabilidade, de não lidar com consequências é transformar o outro num "desconhecido"...
É uma sensação estranha esta de parecer não ter passado, de ter uma memória que te parece exclusiva, como se tudo que viveu fosse um sonho.
De repente, o carinho é trocado por tratamento distante, os olhares se desviam, as palavras ficam burocráticas, isto quando ainda existem...
Nos transformamos em desconhecidos, aposto que vc já passou por isto.
É conveniente, claro. Resolve muitos problemas, ao menos pra quem pratica.
Se vc resolver tb adotar a mesma prática, todo mundo fica feliz e segue em frente, talvez até evoluam para amigos cordiais e, sem memória.
Já nos acostumamos a não tocar em certos assuntos, de evitar certos temas, esconder atitudes, etc... Somos artistas bem urdidos nisto de enganar, de evitar...
Mas é o supra sumo apagar uma vastidão de memória em nome do conforto de viver.
Pra começo de conversa, não entendo do que as pessoas tem tanto medo, parece que não restam caminhos pra felicidade que não sejam dolorosos.
Fazemos tantas escolhas confortáveis, vivemos tão bem com elas, nos enganamos e seguimos em frente mas, e o outro?
Somos tão cruéis assim que nosso egoísmo pode "apagar" sem levar em conta os estragos causados?
Vida que segue...
Tem hora que fico com a sensação que minha memória que é boa demais, pq não consigo esquecer... Vejo tanta gente esquecida, até me assusto. Será que o maior mal da humanidade seja a falta de memória afetiva?
Não sei, só sei que vamos sendo excluídos, colocados em nossos cantos, em pequenas prateleiras cerebrais... Até que os neurônios e encarreguem de fazer o caminho ficar esquecido...
Talvez sirva de desculpa que já fizeram isto com a gente, então, pq não?
Talvez eu que seja saudosista, goste de me prender aos belos momentos do passado... Não sei. Ou talvez deva aprender simplesmente a esquecer mas, sinceramente, não consigo.
É certo que as pessoas tem seus valores modificados pelo tempo, mas deveria ser um processo natural, não? Hoje, não há desgaste da peça pq ela simplesmente nem chega a ser usada, bem antes de qualquer risco, já foi, virou passado... Tão defensivos que nos tornamos...
Haja intuição, parece a piada antiga: Ao ver a casca de banana, exclamou: Ih, lá vou eu escorregar de novo...

Um comentário:

lady viana disse...

"Gostei do texto. Acho que às vezes temos medo de sofrer e por isso pensamos em esquecer, mas tem certas coisas que não podem ser esquecidas, principalmente pessoas. Têm pessoas que nos tocam tão fundo, que é praticamente impossível esquecer, então vale a pena arriscar tudo, todo esse mundinho que criamos como perfeito, mas que saindo da superfície e se aprofundando, vemos que somos vazios e incompletos e se não arriscarmos, seremos assim pra sempre."