quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Assombrados pelo Passado

Por mais que queiramos esquecer o passado, ele é parte de nós, parte do que somos e nos tornamos.
Por mais que a gente queira se ausentar, todos os nossos atos, inclusive a falta deles, afeta um sem número de pessoas à nossa volta.
Ficou famosa a frase da teoria do caos sobre o bater de asa de borboleta, não podemos, portanto, imaginar que nossos atos sejam impunes, nem pra nós, nem para os outros.
Vejamos, por exemplo, aqueles que tentam se livrar do passado, por mais que se esforce, sempre haverá um tanto de nós que resulta justamente do que fomos, sempre haverá olhares sobre nós que resultam do que representamos pro outro...
Por mais longe que possa ir, sempre haverá ao menos uma sombra a te perseguir, a sua ao menos...
Não somos bem resolvidos, é fato, tentamos driblar, fingir, esconder, mas... Somos o que somos, o que nos tornamos... Quando fechamos os olhos, uma vida passa diante de nós...
Da mesma maneira são nossos atos, como uma pedra jogada no lago, os círculos que se formam vão afetando desde os mais próximos até os mais distantes, mesmo aquele que nem sabe quem é vc, de alguma maneira será afetado.
Não tem como fugir, é um erro tentar fugir... É uma mentira.
Podemos não ter orgulho, mas é parte de nossa construção... Não seria o que é sem o que fez.
Por vezes parecemos querer cauterizar pedaços de nossas lembranças, queremos imunizar os efeitos de nossos atos, não adianta, sempre haverá uma marolinha indo distante, chegando onde menos se espera, onde queremos evitar.
Vc pode fingir que está tudo bem, vc pode até conseguir passar grande parte de seu tempo lidando com um novo eu, com um novo cenário, mas logo sentirá os tremores, os suores de uma lembrança, do que fez ou deixou de fazer, a lembrança do que deixou pra trás, as decisões que tomou, as escolhas que fez...
E se...?
Vc será atormentado pela perguntinha chata, buzinando no seu ouvido, tal qual o diabinho e o anjinho disputando suas escolhas.
Se mesmo lidando de maneira franca com o passado e nossos atos ainda restam sombras, imagina quando damos uma guinada com intenção de fuga? Quando chutamos o balde achando que bastará pra sermos felizes?
Muitas vezes somos, não se nega. Mas a custa de que?
Eu vejo uma obra, o qto de entulho e sujeira ela produz, o qto de destruição, o qto de descaracterização... Mas basta esperar pra ver o resultado.
Negar o passado é negar os motivos de seu sucesso, é negar os motivos do que vc é, todos nós passamos por obras e reformas.
Se ausentar é uma fuga inconsequente, pq ignora que mesmo o silêncio afeta a audição... A escuridão afeta a visão... Não imagine que seu esquecimento será compartilhado por quem vc quer esquecer.
O que fez está feito, provocou mudanças, afetou pessoas, situações, vc sempre estará presente, de alguma maneira que seja...
Pq somos uma coleção de experiências, de vivências, de contatos, de coisas que ouvimos, vimos... Não se extirpa partes, pq logo elas se recompõe... Talvez até de maneira mais dolorosa.
Vc sempre manterá com vc aquilo que foi, por mais que lute contra esta verdade.
Vc sempre afetará a vida de outros, pq mais que tente se ausentar.

Um comentário:

lady viana disse...

Gostei do texto. Entendo que tudo que fizemos no passado, atos bem intencionados que muitas vezes não saírem como imaginamos, nos ajudaram a sermos o que somos hoje, as experiências boas e ruins fazem parte da nossa vida, negar isso é negar a nós mesmos. O passado nos ajuda a seguir em frente, a tentar não cometer os mesmos erros... Mas nós mostra que se errarmos, é porque estamos tentando acertar.