quarta-feira, 28 de julho de 2010

O viver e o errar.

Não existe pensamento mais constante, com todas as variações possíveis, que não envolva nossas vidas e como as conduzimos.

Pensar a vida é o que nos leva a tomar decisões.

Mas este pensar está sujeito às nossas habilidades de ler e interpretar os fatos, depende do momento que vivemos, do estágio atual de nossas vidas diante daquilo que projetamos. Ter uma análise correta, diante de tantas possíveis influências parece impossível, ao menos mais difícil do que gostaríamos. De fato é.

Por isto erramos tanto, sofremos, acumulamos fracassos.

Como se diz, errar é humano, chega a ser inevitável. A grande sabedoria sempre será como lidamos com os erros. Podemos acentuá-los ou transformá-los em aprendizado, base para nosso crescimento.

Com o tempo, algo parece cada vez mais evidente, quanto mais vivemos mais percebemos que viver não pode ser um ato isolado, solitário. Para viver e viver bem, precisamos de alguns bons e poucos amigos que sejam nossos pilares. Eles nem precisam saber da importância que têm, mas nós sim temos por obrigação mantê-los por perto.

Muitas vezes nossos erros afetarão estas pessoas, não adianta supor ou desejar que nossos erros só afetem nossas vidas, assim como supor que verdadeiros amigos só devem participar dos bons momentos.

Nossos erros, muitos percebidos tardiamente, muitos ignorados por muito tempo, outros retocados indefinidamente, sempre nos perseguem, além de nos desviar de nossa felicidade, de nossos objetivos.

O que fazer? Passar o resto da vida se martirizando? Fingir estar tudo bem? Ou expurgar os erros, expiar os pecados e tentar um recomeço?

Observe que optando por tentar um recomeço, vc encontrará lá na tal encruzilhada onde tudo começou a dar errado, os bons e verdadeiros amigos, nossos pilares. Feridos ou não, eles estarão lá prontos pra te dar a mão, pra te oferecer uma nova chance, um recomeço.

Mas pq erramos?

Primeiro é importante ressaltar que diante da vida nem somos ingênuos demais, nem espertos demais.

Nossas vidas tem trajetórias relativamente bem definidas, pontos de partidas bem pessoais, portas que se abrem ou se fecham, desafios na medida exata de nosso tamanho, tem o momento de cada coisa.

Diante de nós, invariavelmente, temos situações que quando bem resolvidas, nos levam até nossos objetivos, nossos erros residem, basicamente, de escolhas erradas, de leituras equivocadas, de comparações injustas, de falta de confiança em nós mesmos, da busca de atalhos, de apressar as coisas ou recuar diante delas.

Quando assim fazemos, toda a realidade em torno de nós fica distorcida, é muito fácil um erro inicial criar uma avalanche de novos erros, perdemos os referenciais, coisas passam a ter um sentido próprio, não real, tudo parece certo e justo, e somos induzidos cada vez mais a mergulhar naquilo.

Considerando o caráter humano, onde as pessoas são capazes de se aproveitar de nossos erros, ou mesmo estarem errando tanto quanto nós, é fácil perceber que a espiral de erros tende ao infinito, como numa equação onde dois ou mais valores errados contribuem para o desastre.

O mais interessante é que nenhum erro é gratuito, como eu disse antes, nossas vidas seguem uma trajetória, ler e interpretar errado as coisas que surgem nela é que promove nossos desvios.

No que eu acredito?

Acredito que cada um de nós tem as ferramentas certas pra enfrentar os desafios da vida, para abrir caminho, construir sua trajetória.

A vida oferece através de vários meios as oportunidades de se aprender, crescer e ser recompensado, escolhas ruins produzem punição, que tb não é gratuita visto que sempre haverá chance de se redimir, de se reconstruir.

Não acredito que somos predestinados a isto ou aquilo, acredito sim que nossas escolhas definem nossa colheita, acredito que tudo na vida é oportunidade, mesmo o erro não deixa de ser uma oportunidade e é como lidamos com cada oportunidade que define quem somos, o que nos tornamos e o que possuímos.

Não importa se nossas “ferramentas” são diferentes das dos outros, importa que sabendo usá-las teremos as mesmas chances que os outros, e é fundamental que vivamos a nossa vida, não a vida dos outros.

Dentro desta ótica, errar é parte do processo, eu diria até que é esperado, o problema será sempre no como lidamos com o erro, que chance nos daremos de recomeçar, de como nos reconstruiremos e de como enxergaremos nosso erro.

É um processo que exige humildade, exige aceitar com profundidade que diante de oportunidades que a vida nos deu, fizemos escolhas erradas que levaram a outras numa sucessão de erros, exige que percebamos que foi preciso se machucar pra acordar, mas tb nos permite perceber que temos uma nova oportunidade de recomeçar, de se reconstruir, e que nem todo mundo tem sabedoria pra isto, muitos continuam cavando mais fundo, enterrando de vez a chance de ser feliz.

Lembre-se que se não soubermos lidar, o erro nos perseguirá, tentará se confirmar como verdade, com artimanhas e maldade, tentará de tudo pra se fazer de realidade.

O erro é inerente ao viver e é, na realidade, uma oportunidade de se reconstruir, com bases sólidas, de recuperar nossa trajetória.

Um comentário:

Amanda disse...

Dom Eros.
Errar faz parte de nossas vidas.,faz parte de nossa natureza.
Evoluir com nossos erros é uma dádiva.Nem todo mundo consegue.
Muitos de nós seres humanos erramos achando que estamos fazendo a coisa certa. Como por exemplo:
Magoar,ferir atingir os sentimentos de uma pessoa ás vezes por motivos insignificantes. outro exemplo:
Quando a pessoa comete erros.,tem conciência de que está errado e não admite seus erros.,não tem humildade. Errar é justamente pra logo após Aprender,absorver, reconstruir e finalmente recomeçar.
Eu quero recomeçar. E será que esse algúem que não admite seus erros sem a menor humildade.,será que vai aceitar o meu recomeço?
provavelmente não.
O Recomeço é meu.,só meu. e será visto pra quem quer Ver.
Será que vou ser feliz com o meu recomeço?...não sei. Felicidade só é feita de momentos. A Verdade D Eros é única: Viver é pecar.,Viver é errar.,Viver é errar e tentar sempre acertar com nossos erros.
Essa é a nossa tragetória de Vida.

Prabéns pelo post.

Sds.
Amanda.