quinta-feira, 26 de julho de 2007

Belo Sítio

O dono de um pequeno comércio, amigo do grande poeta Olavo Bilac, abordou-o na rua:

- Sr. Bilac, estou precisando vender o meu sítio, que o Senhor tão bem conhece. Poderá redigir o anúncio para o jornal?


Olavo Bilac apanhou o papel e escreveu:


"Vende-se encantadora propriedade, onde cantam os pássaros ao amanhecer no extenso arvoredo, cortada por cristalinas e marejantes águas de um ribeiro. A casa banhada pelo sol nascente oferece a sombra tranqüila das tardes, na varanda".


Meses depois, topa o poeta com o homem e pergunta-lhe se havia vendido o sítio.

- Nem pense mais nisso, disse o homem. Quando li o anúncio é que percebi a maravilha que tinha.


Moral da história: Às vezes não descobrimos as coisas boas que temos conosco e vamos longe atrás da miragem de falsos tesouros.
Valorize o que você tem, a pessoa que está ao seu lado, os amigos que estão perto de você, o emprego que Deus lhe deu, o conhecimento que você adquiriu, a sua saúde, o sorriso, enfim tudo aquilo que nosso Deus nos proporciona diariamente para o nosso crescimento espiritual.

3 comentários:

Paulo Fernando disse...

A casa do vizinho sempre é melhor que a nossa. Mas existem pessoas que pensam diferente, graças a Deus.


Abraços!

B. disse...

Achei a moral da história assim descrita um tanto quanto desnecessária.

O texto é muito bom.

Bisous.

atena de Eros disse...

Olhar para o que temos e saber reconhecer sua grandeza ainda é para uns algo distante, sorte que muitos olham de forma diferente, e sentem gratidão pelo que possuem ao invés de ficarem invejando o dos outros.
Nosso dia-a-dia é colocado para nos fortalecer e evoluirmos como pessoas. Por que as vezes esquecemos disso?!

Beijos!