terça-feira, 10 de julho de 2007

Decidir...

Ler esse blog pode parecer que aqui se propõe receitas infalíveis de felicidade, basta seguir o receituário e pronto, seus problemas se acabaram.
Todos sabemos que não é assim, em uma de minhas postagens eu falava que todos os problemas são parecidos, as soluções é que mudam, justamente porque é nas decisões que tomamos que tudo se define.
Devemos sim estar prontos para tomar decisão, mas cabe a cada um de nós, dentro de sua individualidade, de sua natureza, de suas perspectivas de vida e objetivos decidir.
Não se ensina ninguém o caminho das pedras, porque esse caminho é diferente para cada um, mas podemos falar do que se enfrentará, das tentações, medos e de como tantas vidas servem de exemplo para orientar nossa conduta.
Esse blog, como está em sua apresentação, é o blog de um observador, mas que também sente na pele a dureza do caminho escolhido, que já se arrependeu de escolhas feitas, que já sentiu o peso de cair na tentação do caminho fácil. Não sou imune, talvez nunca me torne, mas sempre carrego comigo as lembranças de como escolhas erradas afetam nosso presente e futuro.
Para piorar a situação, os efeitos de nossas decisões se estendem como as ondas provocadas por uma pedra jogada num lago, e vão atingindo uma a uma das pessoas ligadas a nós.
Pais, amigos, namorados, amantes, esposos(as), filhos, colegas...
Somos uma coluna que dá firmeza a estrutura de alguém, se estamos abalados, alguém, sem dúvida, sofrerá também os efeitos, dependendo da posição que ocupamos na estrutura desse alguém, o abalo pode ser bem mais significativo do que pensamos.
Pois é, não é fácil tomar decisões, mas quem disse que o melhor caminho é não toma-las?

3 comentários:

Luna ♥ disse...

Realmente, para viver ñ tem receita ou um facilitador para compreender a vida, vamos avançando no escuro pq recuar não dá. As decisões são inevitáveis, até a opção de ñ decidir é uma decisão.

Psique disse...

Gosto de ver a maneira como escreve o que observa...Mas sempre acho enagraçado demais o fato de sempre vermos os dois lados da mesma situação.
"Não tomar uma decisão" também "é uma decisão", meu querido Eros...

Bjks

Papos e reflexões disse...

Eu sei disso Psique, leia o comentário de Luna, reflete uma conversa que tivemos.
Não falo de decisão somente, falo dos efeitos dela.
Decidir ou abdicar desse direito sempre trás consequências, falamos sim delas.