sexta-feira, 13 de julho de 2007

Amigos Virtuais

A vida é tão imprevisível, você acorda naquela manhã maçante, sem saber o que fazer de seu dia, nem o sono colaborou te permitindo alongar as horas na cama. Você se levanta arrastado por uma força invisível buscando algo pra se distrair, uma ocupação para dar utilidade a sua existência.
Televisão? Você busca na memória a rica programação e faz cara feia ao constatar que não encontrará nela o lazer pretendido. Você toma seu café, olha a fumaça saindo da xícara, se alonga naquele processo esperando uma visão paranormal salvadora.
Você ainda com roupa de dormir cogita arrumar a cama mas o computador te convida, quem sabe aquele e-mail, quem sabe um papo interessante no msn, quem sabe um testemunho no Orkut, quem sabe...
O último recurso é tentar uma sala de bate papo, entre criar um personagem ou ser você mesmo, quem sabe um ser híbrido, você entra, fica mandando mensagens soltas tentando “fisgar” alguém, mas sempre surge aquele papo óbvio que já deu no saco, nicks sugestivos são logo destruídos por aquele erro crasso de português.
Você se pergunta por que está ali, já fez isso tantas vezes e conta nos dedos quantas deu certo. Para sua sorte hoje é o dia, e quando você se dá conta já está envolvido numa conversa interessante, surpreendente, renovadora.
Claro, para variar um pouquinho, surgem os velhos problemas de sala de bate papo: mensagens que não chegam, internet que trava e aqueles idiotas que adoram fazer de conta que conversam contigo em aberto coisas que deixaria corada até atriz pornô.
Tem hora que conquistar alguém na internet parece mais difícil do que na vida real.
Mas você, com algum esforço, consegue contornar os desencontros, trocam e-mail, msn e o básico do primeiro encontro virtual.
Finalmente aquela manhã ganhou um tempero estimulante, você passa o resto do dia fazendo altas conjecturas, desenhando os melhores cenários.
Mas não raro nas primeiras conversas pelo msn, nos primeiros e-mails trocados a ilusão vai dando lugar a frustração, quando o personagem se transmuta em ser real, quando a dureza da vida ocupa o lugar da fantasia, o encanto se perde.
Felizmente existem exceções, quantos de nós não tem belas histórias para contar, quantos de vocês conheci assim ou de maneira parecida? Quantos deliciosos encontros em manhãs sem graça se tornaram lindas amizades, lindos encontros de pessoas, desejos, afinidades?
Amizades de anos, amores de décadas, tesão que não couberam na internet, aventuras que se tornaram reais, quantos conselhos seguidos, quantas novidades aprendidas.
Às vezes olho para trás, vejo o quanto de mim se formou em conversas da net, pessoas que mudaram meus pontos de vista e nem sei quem são, uma frase lida, uma frase dita e as reflexões que mudam todo um modo de pensar, encarar a vida.
Devo tantos agradecimentos mas nem mesmo um e-mail posso enviar, a maioria dessas pessoas nem sabem da importância que têm ou tiveram e eu jamais terei chance de dizer isso a elas.
Quantas manhãs salvas, quantos sorrisos que descambaram para gargalhada, quanta excitação, quantas situação “constrangedoras”, quantas lembranças tão boas, quantas que dão nó no coração, quantas oportunidades perdidas, quantas brigas inúteis, quantos abraços apaziguadores, quantos sonhos acalentados.
Se eram personagens, quem se importa? Se eram mentiras, qual a diferença? O que importa é o que amadurecemos e crescemos aqui através dos ganhos, através das perdas que o mundo virtual nos trouxe.
A internet é um mundo a ser respeitado, o que se vive nela muitas vezes nem se compara ao que vivemos no mundo real, tanto que muitas vezes é traumático sair da net pro real. Não devemos ambicionar o real a não ser que tenhamos a certeza de que ele pode ser tão bom ou melhor do que a net, jamais devemos menosprezar o que os amigos virtuais tem a nos oferecer.
Aqui não importa rosto, que roupa veste, como anda, se tem hábitos estranhos, o que importa é a contribuição que esse amigo virtual tem a nos dar, assim como nossa capacidade de retribuir a altura.
Agradeço a todos os meus amigos virtuais, os que tem a chance de ler meu blog, os que passaram deixando apenas uma frase, os que nem ao menos tive a chance de conversar, mas através de um blog ou um texto de Orkut me permitiram alguma reflexão, aos que ainda estão comigo, aos que infelizmente deixaram de ser meus amigos, como ou sem razão, aos que me observam silenciosamente sem se manifestar, aos que ainda virão, aos que ainda se revelarão, aos que me excitam, aos que me desafiam, aos que acolho, protejo, ensino, aos que ouço e aos que me ouvem,



Obrigado por existirem..

3 comentários:

Jussara Mascarenhas disse...

"Jamais devemos menosprezar o que os amigos virtuais tem a nos oferecer" - concordo, plenamente, com você. Inclusive aqueles amigos que foram cometas em nossas vidas. Não importâ: levaram um pouco de mim, deixaram um pouco de si.
Isso, sim, é importante.
Tenho alguns amigos virtuais de longa data. Alguns de Bagé/RS, outros de Maceió e outros de Portugal e Açores, porque o que separa é o ponto de vista territorial, mas o que nos une é o amor, é a amizade, é a certeza de que, demore o tempo que for, ainda nos veremos.
Adooorei seu blog.
Você escreve muito bem.
E obrigada pelo reflexivo comentátio em meu blog, no post 'Medo'.
Ótimo dia pra você.
Fique com Deus.
Beijoo

Luna ♥ disse...

Quanta sensibilidade no seu texto...
Também penso assim.
Encontros são encontros , se é virtual não faz diferença. A troca de sentimentos e emoções é a mesma, que podem ser até mais surpreendentes e significativos do que no real. Saiba, o meu encontro contigo aqui foi um desses!!!
Beijos!!!

Psique disse...

O mundo virtual...
Confesso que não vejo tanta diferença entre o real e o virtual...
Já menti e fui vitima de mentiras,amei e fui amada,ri e chorei diante dessa tela tão fria.
Fiz amizades que considero reais, reeencontrei velhos amigos e vivi um amor que de virtual virou real e durou mais de 8 meses...
Mas o que mais gosto daqui é justamente o fato de não me importar com a aparência de quem está do outro lado. Me sinto atraída pela essência das pessoas, pois escondidas atrás do anonimato de um teclado em sua maioria se revelam por inteira.
BJks